Candidatos a Conselheiros Tutelares são apoiados por Vereadores e causam insatisfação em Búzios.

A cidade de Armação dos Búzios anunciou os conselheiros eleitos neste domingo (06). Os eleitos, irão atuar no Conselho Tutelar na gestão entre os anos 2020/2023.

Segundo a divulgação feita pelos órgãos oficiais, os conselheiros eleitos foram: Adriana Ribeiro de Oliveira, com 314 votos, Claudeir Borges Rangel Júnior, atingindo 308 votos, Eliane de Almeida Ferreira, conquistando 289 votos, Thamires Afonso Carvalho com 258 votos e José Carlos Portela de Souza conquistando 242 votos. Ficaram ocupando as vagas como suplentes: Carlos Alexandre Alves, Irecema Barroso de Souza Menezes, Ciro Robson Santos, Katrine Carneiro Nogueira, Jucilane Rocha Souza.

Fonte: Live divulgada na apuração dos votos em tempo real pelo Facebook.

No entanto, através de publicações nas redes sociais, muitas pessoas sinalizam insatisfação. Dezenas de publicações explícitas nas próprias redes, denotam a respeito de um esquema político de apoio de campanhas de candidatos ao cargo de Conselheiros Tutelares. Alguns, nas eleições seguintes retribuem a estrutura oferecida, atuando como apoiadores as eleições municipais, gerando um ciclo sem fim de “apoia aqui”, “apoia ali”.

“Bocas de urna” que são proibidas, foram realizadas em vários pontos da cidade, mesmo sendo repreendidos, segundo relatos, a insistência foi grande.

Em uma rápida busca nas redes sociais, não foi difícil encontrarmos alguns políticos locais apoiando os candidatos. Respeitando a legislação em vigor e em caráter de transparência e idoneidade, apenas reproduzimos o que já consta (e é explícito) nas redes sociais dos próprios. Resguardamo-nos a não publicar ainda, o material enviado como: “prints” e afins, em respeito a legislação vigente. No entanto, as denúncias e material enviados, serão encaminhados para as autoridades competentes, afim de que possam averiguar o que de fato possa ter ocorrido.

A comoção sinalizada nas redes levanta uma questão importante. Em tese, o problema de termos candidatos eleitos através do patrocínio e apoio de grupos políticos poderia deixar vulnerável o princípio da autonomia do Conselho Tutelar. Alguns leitores questionam:

“Um conselheiro eleito com apoio de um grupo político específico, pode cobrar o acesso e oferecimento de políticas publicas ao mesmo candidato que o auxiliou a ser eleito?” ou ainda:

“Se um político que o elegeu ocupa uma secretaria de uma pasta responsável pelo serviço a ser oferecido e que deve ser fiscalizado pelo Conselho Tutelar, o candidato agiria com o mesmo rigor e ética?”

A seguir, veremos mais materiais que são publicados nas redes sociais:

Foto do Perfil do Próprio Vereador Explicitamente publicada no Facebook.

O vereador, conhecido em Armação dos Búzios como: “Niltinho”, foi alvo de uma denúncia, feita através de uma publicação de um dos Candidatos, que já exerce a função de Conselheiro, informando que ele havia utilizado o carro do Conselho Tutelar para transportá-lo ao Rio de Janeiro, segundo ele, deixando o Conselho sem a estrutura necessária para atuar em suas demandas.

Fonte: Publicação no Facebook.

Outro Vereador também utiliza as redes para apoio a um dos Candidatos ao Conselho Tutelar:

Através de uma publicação no instagram o Vereador fazia campanha para o candidato.

Desde 2016, o mesmo Conselheiro, que desempenha a função por 12 anos seguidos, já fazia campanha para o Vereador que o apoiou:

Fonte: Publicação explícita no Facebook no perfil social do candidato.

Após a eleição, o vereador agradece aos votos concedidos ao seu candidato:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *