Figura conhecida em Búzios, escritor entra na briga contra Crivella por censura de livros no Rio de janeiro.

Figura conhecida em Armação dos Búzios por projetos já executados na cidade e em parceria com a APAE, Flávio Duncan é quase um cidadão Buziano. Declaradamente apaixonado pela cidade e com família da região, Duncan é considerado uma das referências no Brasil para assuntos ligados a desenvolvimento social, chegando a ser um dos indicados ao Prêmio Nobel da Paz.

Despontando como um dos escritores da safra moderna, com perfil polivalente, o trabalho de Flávio atinge a diferentes tipos de público com obras e linguagens acessíveis.  O escritor, que tem obras vendidas em mais de dez países entra na briga contra o Prefeito da cidade do Rio de Janeiro, Marcelo Crivella(61), em função da censura realizada junto aos livros confiscados e considerados impróprios na Bienal do Livro, neste último sábado(7).

“Meu último livro se chama Preconceito e retrata os mesmos temas censurados, não havia possibilidade de me calar. É inadmissível que nos dias de hoje ainda tenhamos esse tipo de manipulação e censura. Pontua o escritor que em função do confisco das obras, disponibiliza gratuitamente e-books nas redes sociais para o grande público, convocando escritores que tenham obras abordando as mesmas temáticas a fazer o mesmo.

Flávio Duncan – Foto Divulgação

“Se tentaram censurar e cercear direitos, saibam que ofereceremos mais informação ainda”. Declara o escritor.

Seu mais recente e quarto trabalho, intitulado: “Preconceito”, foi lançado em Dezembro de 2018 no Brasil retratando temas como: homofobia, transfobia, xenofobia, misoginia, preconceito racial, intolerância religiosa e muitas outras vertentes do preconceito. A obra que hoje é oferecida gratuitamente pelo escritor, já foi traduzida para seis idiomas e em menos de trinta dias após o lançamento no Brasil, já esgotara nas livrarias do país.

Atacados pela intolerância desde o lançamento:

Como era de se esperar, o livro “Preconceito” retrata temas polêmicos. Em seu lançamento, lotou um dos principais shoppings na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro e foi alvo de ataques preconceituosos nas redes sociais. Ao que parece, o ocorrido se deu por intolerância, já que o evento de lançamento contou com uma mistura de tribos e seguimentos dos mais diversos, com direito a apresentações de grupos de origem de Matrizes Africanas, manifestações de arte étnica e depoimentos de quem vivencia essas tristes realidades no Brasil.

“A fase que o Brasil atravessa é fruto da ignorância e da má-formação, que deram espaço a intolerância religiosa, discursos de ódio e preconceito. O remédio pra isso é oferecer cada vez mais informação e ferramentas que possam levar as gerações futuras ao esclarecimento que hoje não temos.” Declara o escritor. 

Declaração de carinho por Búzios:

Búzios é uma segunda casa. Tenho família na região e lembro da infância maravilhosa que vivi desde que Búzios ainda fazia parte de Cabo Frio. Minha mãe é apaixonada pelo local e até hoje tem casa em Búzios, onde reunimos a família. Fiz poucos projetos na cidade, mas gostaria de poder fazer mais pra ajudar a cidade a crescer. Declara.

Projetos pelo Brasil.

Flávio é responsável por projetos de renome que lhe deram projeção pelo Brasil a fora e criaram portas de saída para perfis de dependência de Programas Sociais, como o Programa Bolsa Família por exemplo. Só nos últimos três anos, Duncan conseguiu atender a mais de 35 mil famílias, fazendo com que não dependessem de subsídios oferecidos pelo governo.

No início era muito complicado. Ainda é. As pessoas me achavam louco, porque enquanto todo mundo fazia ações que atendiam de forma terapêutica, eu queria fazer mais. Queria que as pessoas aprendessem coisas que pudessem gerar renda. Assim passamos a realizar cursos de corte e costura, maquiagem, confeitaria, culinária, sapataria, carpintaria e tudo que você puder imaginar. Já vi cidades onde ofereciam cursos de secretariado dentro de áreas bem carentes. Isso pra mães que sequer sabiam ler e tinham muitos filhos. Como essa mãe vai sair de casa e distribuir curriculuns na rua? vai deixar os filhos na casa de quem, do prefeito? A gente precisa encarar a realidade das coisas de frente e passamos por um momento em que não dá pra fazer mais ou menos. Tem que fazer e ponto. Aprendi a fazer muito com pouco. Tinha tudo pra dar errado, pois fui muito perseguido, mas acabou dando certo.

Duncan que desenvolve projetos desde os 18 anos de idade, se prepara para ser um dos homenageados em Nova Iorque em Novembro deste ano, recebendo títulos honoríficos concedidos por uma renomada instituição de nível superior internacional.

Para ter acesso ao livro gratuitamente, basta clicar aqui.

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *